segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Idiotice = felicidade




Li outro dia a seguinte frase: A idiotice é essencial para a felicidade.
Adorei! O texto que se seguia incentivava-nos a nos divertir com nossos próprios vexames, a assumi-los mesmo. Então pronto, resolvi obedecer.

O que é a vergonha? Bochechas vermelhas, vontade de sumir de repente, frio na barriga, reação sem-graça, e aquele riso acanhado tentando disfarçar tudo. Normal, saia justa esta, que visto quase todos os dias, devido a muito mais que somente um comportamento distraído e desastrado, não, é muito pior, é uma lesera, quase que absoluta.

Mania de não pensar direito antes de abrir a boca, falar a coisa errada, na hora errada, para a pessoa errada. Essa sou eu gente, entre micos e king-kongs tenho uma coleção repleta das mais diversas situações constrangedoras. Vítima do azar mesmo, ou da atração fatal que tenho pelas gafes.
Pois bem, a história que vou contar é uma delas.

Outro dia me assustei, distraída com o final de um filme me atrasei para o culto de domingo, já eram 18h30min e o culto começa 18h30min eu já devia estar lá.
Corri para um banho relâmpago, vesti qualquer roupa, passei só um batonzinho e fui. Demorei sossegar a agitação da correria, mas consegui me concentrar.

Ufa. No finalzinho já do culto, encasquetei que a senhora no banco de trás cochichava alguma coisa sobre mim, olhei de rabo de olho, ela fazia uma cara estranha, apertava os olhos como quem quisesse enxergar direito, devia estar me achando parecida com alguém pelo jeito, sei lá. Cochichou de novo, já fiquei irritada, ela ficou inquieta, já não prestava atenção no culto, nem eu, parecia que hesitava em me dizer alguma coisa.
Deve estar querendo lembrar-se de onde me conhece, pensei. Eu nunca vi mais gorda, mas também nem posso confiar na minha memória... Vamos acabar logo com isso, Arquitetei um plano, resolvi olhar para trás e sorrir, assim ela toma coragem e fala logo de uma vez.

Deu certo, eu olhei, sorri, ela sorriu de volta e desabafou: “Moça, tem uma coisa estranha nas suas costas, o que é isso?” Falou já passando a unha, despregando alguma coisa de mim, olhou rapidamente o objeto sem identificar e me entregou.

Puts, o finalzinho do sabonete bege, com perfume de amêndoas, do tamanho de uma rodela de limão, ficou pregado nas minhas costas, secou e virou um grude branco esquisito, amassado, parecia uma deformação ou coisa parecida.

Peguei aquilo e nos primeiros segundos fiquei confusa, depois que percebi, caí na risada, na correria do banho, nem percebi nada. A família inteira atrás de mim queria desvendar o mistério, mas eu só ria, como vou explicar? Fiquei vermelha, roxa, pensava em tomar fôlego e dizer alguma coisa, mas só de imaginar caia na risada de novo.
O marido do lado também sem entender, aproveitei que todos se levantaram para a oração e sai de fininho ainda com crise de riso, fui pro banheiro, tirei o resto de sabonete que ficou e esperei o final do culto.Eles que fiquem sem saber...
Eu é que penso...topei com a senhora na saída da igreja e ela indiscretamente disparou:”Era sabonete nééé?!”(mangando de eu) e eu achando que ia escapar, ah, mas já tava lascado mesmo... “Era tia, ( me vinguei, chamei ela de tia) era sabonete, tomei banho ás pressas, o sabonete tava no fim, não deu tempo de pegar outro, ele grudou nas minhas costas e ficou lá distraindo a senhora a noite inteira.
Kkkkkkkk risada geral. Ah, eu nem conhecia a tia mesmo. Fui embora correndo, contei pro marido, ele incrédulo, ria sem parar, imaginando eu lá com o sabonete grudado o culto todo, me olhou com aquela cara “Você heim, não tem jeito”. Não perde a oportunidade de me lembrar sempre que eu sou tão higiênica que levo o sabonete pra onde for para o caso de precisar.
Aff, pelo menos ele e todo mundo riu muito, descontraiu, você também agora lendo o texto se diverte mesmo que sendo ás minhas custas. A idiotice é essencial para a felicidade, lembra?


Kelly Rodrigues.

2 comentários:

'Glenda Barros soltou o verbo...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Passar por aqui é garantia de boas risadas.
Tua fã demais...essa do sabonete já aconteceu comigo. Só que tive mais sorte que vc, minha mãe me avisou antes de sair de casa...kkkk
muito legal o texto.

BEijos

M. Sueli Gallacci soltou o verbo...

kkkkkkkkkkkkkk amiga, adorei!

Acho que encontrei uma parceira rsrs Eu sou a rainha das gafes e a distração mora em mim...

Já fiz coisas do arco da velha, na minha vida isso é rotina rsrs Já saí de casa toda produzida e descalça, mas já saí tbm com um pé de sapato de cada cor... Já peguei a pasta de trabalho do meu marido no lugar da minha bolsa... Como estou sempre atrasada, tudo que tem alça eu passo a mão e vou embora rsrsrs

Já paguei mico, gorila, orangotango rsrs. Tenho acesso de risos nos lugares mais impróprios e foi-se o tempo que me preocupava com normas etiquetas e discrição... Já passei da idade rsrsrs

Muuuuito bom messsssmo!

Um bjo enorme e boa semana.

Opine aqui, comente!

Pessoas que tem algo a dizer, uma opnião a defender, não é necessário sempre concordar, são cérebros ativos que são bem-vindos por aki.