quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Massa Cefálica


Estava aqui pensando comigo, pôxa vida, somos seres racionais, nós pensamos...
Na verdade temos esta capacidade, apesar de não exercitarmos o hábito. Cada vez mais nos poupamos do trabalho de pensar, de formarmos uma visão crítica, uma opnião. E o "eu acho", o "eu penso", é na verdade um plágio barato do que se divulga por aí. Perdemos assim nossa oportunidade de existir.
Quase todos os meios que nos influenciam, não permitem questionamentos, ou pior eu diria até que nós não queremos fazer as perguntas, e um dia, quem sabe, nós não saberemos mais. Engolimos os conceitos que a televisão, as revistas, a internet nos empurram goela a baixo. O que é realmente belo? Ser magra? Não, ter algumas partes avantajadas, ter cabelos lisos, compridos? Não, não, curtos. Mas qual cor mesmo?
Ah, a moda...estar na moda, ser igual a maioria, ser aprovado pela maioria, estar na média, ser medíocre. Seguir o padrão, mas quem mesmo definiu o padrão? Não queremos pensar nisso.
E o que tem valor? Ter ou  ser, eis a questão. Nossos valores estão...estão nada. Que valores? Quase todos foram lentamente sendo diminuídos, esquecidos. A família, o caráter, a compaixão, o patriotismo, a pureza, a fé. Não temos mais tempo, não temos mais vontade. Não pensamos mais nisso, só dizemos; hoje em dia é assim... Mas porquê? E isso é bom? Não pode ser mudado? Nossa geração não quer mudar mais nada, só aceitar, pacifistas demais, conformados demais, controlados demais.
Ouvi alguém dizer outro dia com o peito estufado; "Eu tenho livre arbítrio", será? (penso eu) rsrs
Porque o que eu vejo são pessoas que se deixam levar pela correnteza e ela nem é tão forte assim, ainda. Não pensamos mais, não lemos, os livros nos fazem pensar, na televisão o pensamento já vem pronto... Em quase todas as causas importantes, que tem o poder de definir o nosso hoje e o nosso amanhã,  nós não nos envolvemos, não sabemos o que dizer, não conhecemos o assunto ou não nos interessamos por ele. Então não teremos o direito de protestar.
Tenho a fama de questionar demais, de ser rebelde porque não concordo com tudo, por querer definir e defender minha opinião. Pelo menos não é aquela velha opinião formada sobre tudo (peguei emprestado) Quando ouço boa música, quando leio um bom livro, quando vejo algo inteligente criado por alguém, eu penso: eu quero ser assim, alguém criou isso, eu quero pensar, quero analisar todos os pontos, quero chegar a uma conclusão, ou á várias. Quero ter orgulho de gritar; eu penssoooooo!
Talvez por isso eu goste tanto de reticências, é, aqueles lindos três pontinhos que agente coloca no fim das frases e que deixam uma idéia de algo mais entende? Já é um pequeno desafio para que as pessoas concluam o pensamento, decifrem a intenção.
Quem você é, como você é, qual é a sua opinião? Pense!!!
Me assusta pensar que o ser humano só usa uma pequena parte de seu cérebro. Estaríamos nós num processo de emburrecimento? Gente, minha massa cefálica não pode ocupar um espaço ocioso aqui embaixo dos meus longos fios negros não tão lisos assim...


Kelly Rodrigues.



3 comentários:

Coisas da vida soltou o verbo...

hmmmm...cheirinho de novo aqui. Gostei do blog. O texto nem se fala, mais que excelente. Vou usar mais minha massa cefálica.

Te seguindo.

'Glenda Barros

Diego Dias soltou o verbo...

Estou feliz por ser um dos primeiros a te seguir e comentar por aqui no blog. Gostei pacas do texto, e concordo plenamente com tudo que o mesmo diz.

As pessoas hoje em dia necessitam do apoio de algo, por isso algumas procuram religião para resolver seus problemas. Outros tentam se apoiar nos amigos mesmo sabendo que eles não resolverão seus problemas. É o mesmo caso desse problema de padronização que a sociedade hoje em dia tem. Ninguém é autosuficiente a ponto de não precisar de um apoio, a ponto de não precisar de uma segunda opinião para definir o que realmente quer. Nessas horas fico feliz, MUITO feliz por ser também o tipo de pessoa que questiona tudo e todos e está sempre pensando não da forma que o mundo é, mas como ele deveria ser.

Desculpa o coment enorme, me empolgo kkk

beijão

novo seguidor o/

p.s: Escritora mesmo?

Carlen Alves soltou o verbo...

Por isso te admiro tanto, VOCÊ ESPECIAL!!!! Adorei o texto... falou tudo!!!!!!!!!!!

Opine aqui, comente!

Pessoas que tem algo a dizer, uma opnião a defender, não é necessário sempre concordar, são cérebros ativos que são bem-vindos por aki.